3 October 2004

...

Hoje estou adoentada. Não fiz nada.
Queria tanto saber como não sentir-me inutil nestes dias em que não faço nada.
Esta minha preocupação só prova que o meu cérebro nunca pára. O meu cérebro nunca está sem fazer nada.
Ao menos que o descanso fosse geral. Mas não!
Alguém sabe onde se esconde o botão da minha bolha cerebral?
É desse descanso que eu preciso.

Bem, vou ver a pantera cor de rosa.
até já.

1 comment:

Rostos said...

Ainda bem que o teu cérebro nunca pára, porque vi como ele imagina instantâneos de vida e desafia o tempo. Pára diante dele, como um forcado que incita o touro. Vi nesse olhar um mundo imóvel, espelhado numa gota de chuva. Volátil e sem peso. Como um turbilhao silencioso. É essa a tua doença? Porque se é, há quem a ame.